Assinar newsletter Aqui
Siga-nos na rede

6 tendências em mobile para 2016

Se 2015 já foi um ano e tanto para o mobile, 2016 promete revolucionar ainda mais a forma de consumir informações e utilidades. O número de smartphones tem crescido a cada ano, e segundo a Nielsen Company – empresa especializada em pesquisas de mercado a expectativa é de superar os 68 milhões alcançados em 2015.

Fique atendo ao mobile, que continuará crescendo e tendo força no mercado tecnológico. Ao que tudo indica… todas as tendências para 2016 mostram que o avanço está apenas começando e que o hábito dos consumidores está em constante metamorfose. Vamos planejar ações de marketing digital mobile? Quais destas cinco tendências vai experimentar em 2016?

undefined

1. Mídia Programática

Quando se pensa em mídia programática, logo vem em mente tecnologia, estratégia, mídia customizada de acordo com as necessidades do público-alvo, algo bem mais assertivo, não é?

O ano de 2016 será um convite perfeito para investir em mídia programática, pois é a estratégia perfeita de marketing digital para otimizar investimentos na compra de display advertisign.

Há previsões de aumento nos investimentos nesse formato de mídia, de acordo com a consultoria eMarketer os valores devem saltar de US$ 600 mil, em 2014, para US$ 4,2 milhões neste ano. Além disso, um estudo da RBC Capital Markets e da Adversting Age revelou que para 33% dos profissionais de marketing entrevistados, o mobile é considerado o número 1 em termos de oportunidade para o crescimento de mídia programática. Então… não há do que duvidar de que 2016 é o ano para investir em mídia programática no mobile. Vamos começar a planejar?

2. Internet das Coisas

O conceito criado serve para designar a conectividade de objetos físicos com o mundo digital por meio da web. Por exemplo, é perfeitamente possível estarmos conectados em qualquer lugar do mundo por meio de um aparelho móvel, sem precisar de um desktop. Com a Internet das Coisas a comunicação se tornou muito mais prática e instantânea.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Unidade de Inteligência Economista (EIU) com 779 líderes de negócios globais, revelou que 96% dos empresários esperam que seus negócios estejam usando Internet das Coisas em 2016. E tem mais: 60% dos entrevistados consideram que empresas lentas na integração de Internet das Coisas ficarão para trás de seus competidores. #ficaadica para ficarmos todos atentos a esta tendência!

A Internet das Coisas oferece muitas oportunidades para as pequenas, médias e grandes empresas. As possibilidades que surgem com esta tendência são infinitas, haverá variedades de aparelhos que possamos levar para qualquer lugar, e até mesmo vestir, como é o caso dos wearables.

Exemplos de Internet das Coisas

Nike FuelBand SE: a pulseira conectada à internet que registra a atividade física do usuário, como: distância, velocidade, etc.

undefined

Genius Smart Lock: a fechadura que pode ser integrada com smartphones.

undefined

NeuroOn: a máscara de dormir que monitora o sono a partir de horários. Com alguns ajustes ela acha buracos de horários livres do usuário e o ajuda a aproveitar o sono com mais qualidade.

undefined

3. Wearables

Considerado a evolução da tecnologia móvel, os Wearables são os famosos "vestíveis" que estão ganhando cada vez mais espaço no dia a dia das pessoas. Exemplos para descreve-los não faltam: os relógios Apple Watch, que possui todas as funções que o próprio smartphone da marca e também os relógios de outras marcas que foram desenvolvidos para facilitar ainda mais a maneira com que o usuário se comunica e interage com o resto do mundo. Há também outros exemplos, como os óculos que oferecem ao usuário uma experiência de inteligência artificial. Quais Wearables que serão lançados em 2016?

4. Mobile advertising como fonte de vendas

Enxerguem a publicidade mobile como um recurso valioso em gerar vendas. Inspirem-se em campanhas como da marca Amopé, criada pela Adsmovil em conjunto com a Havas e que representou a primeira vez que a Reckitt Benckiser lançou uma marca no Brasil tendo como principal estratégia a publicidade mobile. Para terem ideia da dimensão do mobile advertising, o click-through-rate desta campanha foi quatro vezes maior do que a que foi realizada em desktope e 26% dos produtos vendidos foram realizados através de smartphones e tablets graças às inúmeras e precisas possibilidades de segmentação em mobile. Sobre o budget para display advertising: mais em mobile ou desktop?

5. Geração Z

Revolução! Era isso que todos pensavam que a geração Y fosse fazer acontecer, mas… essa revolução está apenas começando. Vem aí a geração Z, também conhecida como Centennials. Eles vêm com a promessa de alavancar o mercado mobile e mudar consideravelmente os comportamentos culturais. Agora sim, estamos prestes a presenciar uma verdadeira revolução!

Pensa errado quem classifica a geração Z como jovem demais para o consumo. Pensa certo quem os vê como uma oportunidade para atender um mercado extremamente novo. Lembrem-se que a geração Z não sabe o que é viver sem Internet, smartphones e tabletes. Eles estão aí para ajudar o mercado a se reinventar no que diz respeito à tecnologia mobile. Aprenda com eles!

6. Foco no usuário

Que o mobile veio para influenciar as estratégias de marketing digital, ninguém duvida. O crescimento em 2015 foi muito significativo, e em 2016 promete crescer ainda mais.

Para atingir o público-alvo de forma eficaz, será essencial avaliar os dados dos usuários como por exemplo, os hábitos de consumo, geolocalização, faixa etária, etc. Os formatos de Rich Midia e Retargeting também influenciarão o sucesso de uma mensagem/campanha publicitária móvel altamente personalizada, 100% focada nos usuários e suas necessidades.